São João adiado na PB

Comércio usa estratégias como serviço de entregas e divulgação em redes sociais para fidelizar clientes no período junino, durante a pandemia de Covid-19

Dividir o espaço com milhares de pessoas que têm o objetivo comum de festejar não é mais a realidade para comerciantes que costumam trabalhar no Parque do Povo, durante o São João de Campina Grande. Com o adiamento do evento causado pela pandemia de Covid-19, parte da categoria reinventou o modelo de negócios com que atuava, para tentar superar a crise financeira e assegurar a renda no período junino.

A edição deste ano dos festejos juninos da cidade foi adiada para o mês de outubro. A medida foi anunciada em março, pelo prefeito Romero Rodrigues (PSD), como ação preventiva ao aumento de casos confirmados e mortes provocadas pelo novo coronavírus.

Assim como a festa que é múltipla em cores, sabores e até nas apresentações musicais, os comerciantes que trabalham no festejo não têm um perfil profissional específico. Mas o que há entre eles é o consenso de superar o momento de dificuldade financeira e vivenciar o calor humano proporcionado pelo São João.

Uma das comerciantes que apostou na criatividade para fidelizar os clientes e continuar trabalhando durante o mês de junho foi Franciilda Santos. Ela comercializa drinks durante o São João há pelo menos 23 anos.

A bebida mais conhecida que ela produz se chama “Bom que dói”, que faz jus ao nome, tanto que o quiosque dela se tornou parada obrigatória para os forrozeiros que precisam de um combustível para começar o arrasta pé.

Comerciante faz questão de entregar os produtos para os clientes — Foto: Emanuel Tadeu/Arquivo pessoal

Com a pandemia, a renda dela e da família, que trabalha junta no negócio, foi totalmente comprometida. Isso porque eles também trabalham com eventos durante o resto do ano, setor que também foi afetado pelo aumento de casos de infecção pelo novo coronavírus.

Triste com o adiamento da festa, mas cheia de esperança que ela aconteça em outubro, Fia, como é carinhosamente conhecida, resolveu dar a volta por cima, montar combos dos produtos mais vendidos e fez a divulgação deles nas próprias redes sociais.

Para respeitar o isolamento social determinado desde o início da pandemia, eles são entregues por delivery, pela própria empreendedora, que segue as recomendação de autoridades em saúde para evitar o contágio da Covid-19 e faz questão de reencontrar os clientes, a quem ela considera como amigos.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *